quarta-feira, 28 de agosto de 2013

CrossFit, alimentação e pequenos nadas

Tenho andado um pouco desaparecida porque não tem havido grandes novidades. O meu peso está estagnado à volta dos 64,5 kg. Desde que fui de férias que não voltei a ver os 63. Mas não estou stressada. Sei que também tenho feito alguns estragos alimentares, pelo que não aumentar de peso já é uma vitória. Tenho continuado com os meus treinos e é cada vez mais viciante. O CrossFit elevou a minha autoestima a níveis que eu não conhecia, a ponto de já ter medo de me tornar convencida e petulante. Eheh! Mas nem é por isso que eu treino. Treina pela sensação de cansaço, que é única, de uma paz incrível. E em nenhuma altura me sinto mais bonita que depois de um treino duro, corada, encharcada em suor, despenteada e cheia de magnésio. Dou por mim a ir ao supermercado directamente depois de um treino, sem duche nem nada, ainda nos meus calções curtinhos e camisolas de alças, simplesmente porque isso me faz sentir poderosa. Ahah! Sou doida, eu sei (vá, e um pouco badalhoca). CrossFit não é apenas uma metodologia de treino. É quase uma forma de vida. A box é aquele sítio onde encontro pessoas com quem me identifico, que me apoiam em cada desafio, com quem convivo depois dos treinos, que têm um estilo de vida saudável e que me incentivam a continuar no bom caminho. Pessoas a quem não tenho vergonha de confessar que já cheguei a levantar-me às 3h da manhã para ir comprar bolos :) Aos poucos tem-se tornado quase uma segunda família e adoro sobretudo os treinos de sábado em que toda a gente leva os filhos e o clima é de festa. Olho para trás e vejo o caminho percorrido e sinto orgulho do quanto mudei. Posso não ter perdido 50 kg, mas a minha relação com a comida é bem mais saudável, muito raramente tenho compulsões, reduzi drasticamente a quantidade de doces que como, tenho uma maior consciência de tudo o que levo à boca, sei no momento quando estou a exagerar e mesmo quando isso acontece é de forma consciente. Consigo ter uma alimentação bastante razoável em 70 a 80% das situações e por isso sinto-me menos culpada quando não tenho. O vício do chocolate quase se evaporou e agora chego a passar 2 mês sem lhe tocar (isso para mim já é bastante). E como é que ando a comer? Pequeno almoço: quase invariavelmente é um batido Herbalife. Tornei-me fã. São práticos, saboroso, nutritivos, equilibrados a nível de macronutrientes e deixam-me saciada por várias horas. Não tenho feito refeição a meio da manhã porque me ando a levantar tarde. Almoço: proteína magra (carne, peixe, ovos) com legumes cozinhados e crus e uma fonte de hidratos (arroz integral, batata doce). O azeite para temperar os verdes fornece as gorduras necessárias. Lanche: varia. Iogurte com fruta, galetes de milho com queijo fresco, granola com leite são algumas das minhas opções favoritas. Pós treino: batido de proteínas. Jantar: similar ao almoço mas em menor quantidade. Ceia: quando dá a fome antes de dormir geralmente ataco um iogurte. Para além disso ainda estou a tomar magnésio, zinco e cálcio. Por mais de uma vez tive o magnésio baixo nas análises de rotina e sobretudo agora que treino mais achei que devia ter mais atenção a este ponto. E é isto. Vamos lá ver se até 2ª vejo um 63 qualquer coisa na balança!

1 comentário:

Gorduchita disse...

É muito bom sentirmo-nos em com nós mesmas! :)

Continua no teu caminho, que me parece perfeito! :D

Bjs e obrigada pelo apoio